Gestão de conflitos: 6 passos para implementá-la na sua empresa

Tempo de leitura: 6 minutos

Os conflitos fazem parte de toda interação humana e, nem sempre, significam resultados ruins para um dos lados envolvidos ou para a empresa. O que é preciso é saber como lidar com eles e, pensando nisso, a gestão de conflitos tem um papel muito importante nas organizações.

Muitas vezes, conflitos são ligados a confrontos. Porém, quando administrados de forma correta, podem se tornar uma força que impulsiona mudanças positivas no ambiente de trabalho.

Você sabe o que é gestão de conflitos e como adotar essa estratégia para lidar com as divergências na sua organização? 

Saiba mais agora mesmo!

O que é gestão de conflitos?

É denominado gestão de conflitos o conjunto de métodos que visam administrar situações em que há divergências e estabelecer boas resoluções para esses impasses.

A gestão engloba diversas tarefas e mediar as equipes, intervindo em conflitos internos, é uma função importante para os líderes e responsáveis.

Por mais sincronizado, uniforme e coeso que um time seja, é importante entender que dentro de cada equipe existem diversos indivíduos, com suas crenças, dificuldades e posições, por isso é natural que aconteçam divergências.

O conflito pode vir da oposição de ideias, sentimentos ou interesses. Mesmo que não seja um embate negativo, ele surge da demonstração de forças contrárias e opiniões diferentes e pode ocorrer em qualquer nível dentro da empresa.

Por isso, a gestão de conflitos é tão necessária. Ela é a forma de lidar com esses impasses entre pessoas ou grupos, buscando a melhor saída para evitar os impactos negativos e tornar a situação produtiva.

Para lidar e fazer uma boa gestão de conflitos, é preciso entender sobre esses impasses e desenvolver uma visão sistêmica e sensível para cada tema.

Além de associarmos conflitos a situações negativas, também o relacionamos a discussões entre duas pessoas, certo? Porém, esse não é o único tipo de divergência que existe.

Há três principais tipos de conflito: o intrapessoal, o interpessoal e os organizacionais. 

O primeiro é aquele que acontece internamente nos indivíduos e que pode ser identificado por inquietudes e desinteresse no trabalho.

Quando um profissional está em conflito consigo mesmo, dificilmente ele atingirá o padrão de produtividade esperado. É preciso acompanhar e dar apoio para o tratamento de suas dificuldades internas.

O conflito intrapessoal é aquele entre duas ou mais pessoas. Muitos podem ser os motivos e é preciso acompanhar de perto para que não aconteçam desgastes e que as divergências não se espalhem pela empresa.

Por fim, o conflito organizacional é aquele que ultrapassa os indivíduos e passa a envolver a empresa em níveis mais altos. Ele pode refletir em todos os times, causando problemas financeiros, cortes, processos, entre outros.

6 passos para implementar a gestão de conflitos

Como dissemos, conflitos não estão necessariamente ligados a algo ruim, tudo depende da postura adotada pela empresa e pelos gestores na gestão dessas divergências

É preciso admitir os conflitos e enfrentá-los. 

Separamos algumas dicas para ajudar você a adotar essa estratégia em sua empresa. Confira!

1. Defina os valores da empresa

O primeiro passo para qualquer gestão é entender quais são os valores, a missão e a visão de futuro de uma empresa

Essas definições devem ser compartilhadas com todos os colaboradores e são elas que irão nortear a conduta a ser seguida por eles.

É importante que todos os componentes do ambiente organizacional sigam posturas baseadas nesses valores, buscando diminuir conflitos e problemas internos.

2. Conheça a sua equipe

É claro que cada pessoa tem sua própria personalidade e seu jeito de agir e, para uma boa gestão de conflitos, é necessário conhecer bem os colaboradores.

Seja um líder próximo do time, conheça todos eles, entenda suas expectativas, desejos, necessidades, e vá além do trabalho, buscando saber um pouco sobre gostos pessoais e interferências externas.

É importante que os colaboradores se sintam acolhidos pela organização em que trabalham e que enxerguem segurança e preocupação por parte da empresa.

3. Identifique os problemas

Parte importante de uma gestão de conflitos é identificar e apurar os fatos sobre os eventos. É preciso investigar as origens dos conflitos e os envolvidos.

Converse individualmente com cada uma das partes, conheça todas as versões do problema, identifique causas e necessidades por trás das desavenças.

4. Engaje e motive os colaboradores

Engajar os colaboradores é necessário para mantê-los com o mesmo propósito.

Quanto mais unido estiver um time, maior sucesso alcançará e mais fácil será a gestão de conflitos quando estes surgirem.

Além disso, implante uma cultura de feedback. Apresente os êxitos, valorize as coisas boas e também mostre o que pode ser melhorado. Mais do que dar feedback, colha e escute o que sua equipe tem a dizer.

Motivar os colaboradores faz parte da gestão de conflitos, afinal, quanto mais positivo estiver seu time, menores e mais inexpressivos os conflitos e as desavenças.

5. Realize pesquisas de clima organizacional

Para fazer uma boa gestão de conflitos, é preciso medir as condições do clima organizacional.

A pesquisa colhe percepções dos colaboradores e permite que os gestores coletem informações relevantes e se embasem para tomar melhores decisões

As pesquisas fornecem elementos concretos e representativos das raízes das disputas internas.

Além disso, à medida que as avaliações são repetidas, chegará feedback sobre o que funciona ou não em termos de gestão de conflitos.

6. Negocie e tome decisões

A negociação envolve desenvolver possíveis soluções para o conflito de forma conjunta

É essencial ouvir todas as partes e ter no diálogo a principal arma da gestão de conflitos.

Exerça o papel de líder, seja neutro e tome decisões. É importante buscar sempre o consenso e apaziguar o ambiente da melhor forma possível, não demorando a dar soluções.

Conclusão

A gestão de conflitos é parte essencial de um trabalho em equipe e auxilia no desenvolvimento dos times e no alcance dos resultados da empresa.

É preciso incentivar a participação de todos e deixar claro que em conflitos não se trata de um se sair melhor que o outro, mas sim de resolver de forma positiva para o grupo e com o mínimo de consequências para a organização.

Como você tem feito a gestão de conflitos em sua empresa? Suas equipes estão em sintonia ou surgem muitas desavenças durante o trabalho? Aproveite que agora você conhece mais sobre o tema e invista na experiência do seu colaborador!

Deixe seu comentário :)

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *